Índia: produção de açúcar cai 18,8% de outubro até 15 de maio, diz Isma

19/05/2020
Índia: produção de açúcar cai 18,8% de outubro até 15 de maio, diz Isma

A produção de açúcar da safra 2019/2020 na Índia alcançou 26,465 milhões de toneladas no período de 1º de outubro a 15 de maio, de acordo com boletim de acompanhamento da Indian Sugar Mills Association (Isma), associação de usinas açucareiras do país, divulgado nesta manhã. O volume é 18,8% menor, ou 6,154 milhões de toneladas a menos, que o total de 32,619 milhões de toneladas produzido em igual período da temporada 2018/2019.

A redução na produção ocorre ao mesmo tempo em que o país tem mais usinas processando cana-de-açúcar em comparação com a safra passada. Segundo a Isma, 63 unidades estavam em operação até o fim da primeira quinzena de maio deste ano, ante 38 no mesmo período do ano anterior.

Em Uttar Pradesh, principal região produtora do país, das 119 unidades que estavam em operação desde o início da temporada, 46 continuaram processando cana-de-açúcar até 15 de maio deste ano ante 28 unidades de igual período do ano anterior. No período, foram produzidas 12,228 milhões de toneladas, alta de 4,7% ante as 11,680 milhões de toneladas registradas um ano antes. O volume é o maior produzido pelo Estado, superando o recorde do ciclo 2017/18, de 12,045 milhões de toneladas. "A maioria das usinas deve fechar até o final deste mês, no entanto, algumas podem continuar até a primeira semana de junho de 2020", diz a Isma.

Na região de Maharashtra, a fabricação de açúcar registrou forte queda, de 43,19%, ou 4,63 milhões de toneladas a menos, na comparação entre igual intervalo das safras 2018/19 e 2019/20. A produção passou de 10,715 milhões de toneladas até 15 de maio do ano passado para 6,087 milhões de toneladas até a mesma data deste ano. Das 146 usinas que atuavam na safra atual, 145 encerraram as operações no período e uma está em operação, enquanto na safra anterior as usinas haviam encerrado a produção em 30 de abril.

O relatório destaca que, de acordo com relatos do mercado, cerca de 4,2 milhões de toneladas da commodity foram destinadas a contratos de exportação.

 

Fonte: Estadão Conteúdo, via Istoé Dinheiro