INDÚSTRIAS REFORÇAM MEDIDAS PARA EVITAR TRANSMISSÃO DA COVID-19.

17/04/2021
INDÚSTRIAS REFORÇAM MEDIDAS PARA EVITAR TRANSMISSÃO DA COVID-19.

Atividade essencial, a indústria não paralisou suas atividades, pra isso, redobrou os cuidados com os trabalhadores.

Desde o início da pandemia, o setor industrial, por ser atividade essencial, adotou procolos de segurança para viabilizar a continuidade dos trabalhos de forma segura em relação à possibilidade de transmissão do vírus caudador da pandemia mundial de coronavirus.

“Preocupadas com seu maior patrimônio, as pessoas que colaboram internamente nas organizações produtivas, as empresas não mediram esforços para cumprir rigorosamente as normas regulamentadas pelas autoridades sanitárias, mesmo registrando redução na produção e, consequentemente, no faturamento”, observa o Presidente do Centro Nacional das Indústrias do setor Sucroenergético e Biocombustíveis – CEISE Br, Luís Carlos Júnior Jorge.

Para o dirigente, as empresas tiveram que se reiventar, estudar e colocar em prática estratégias de locomoção e acesso dos trabalhadores, métodos sistemáticos se manutenção e higienização de máquinas e equipamentos de linha de produção, além de adequação de lay out das plantas industriais e até mesmo dos escritórios, adequando suas estruturas físicas e de sistemas operacionais para minimizar a possibilidade de que seus profissionais corram o risco de contágio.

Júnior Jorge elogia o empresariado em razão de que “somos milhares de empresas, de diversos tamanhos, com quantidades absolutamente diferentes de trabalhadores, com características próprias de operação, o que demandou um esforço muiuto grande para que tivéssemos condições ideais, uma vez que o modelo adotado por uma empresa, certamente não caberia para outra”, observa.

A preocopação com os trabalhadores levou a entidade a promover campanhas de orientaçao e até mesmo reunião, virtual, com o sindicato da categoria, demonstando total preocupação com o bem estar de todos os partícipes do segmento.

O advogado Dr. João dos Reis, que presta assessoria jurídica ao CEISE Br observa que o Tribunal Regional do Trabalho de São Paulo, quando há comprovação, reconhece a COVID como doença do trabalho. “Para não correr o risco de uma ação deste tipo, nossas empresas não só aplicaram as medidas necessárias ao combate à pandemia, conforme portaria conjunta da Secretária de Inspeção do Trabalho com o Ministério da Saúde, portaria 20/2020 que estipula os procedimentos que as empresas devem seguir, mas também desenvolveram e aplicam protocolos até bem mais rígidos. Pela segurança de seus trabalhadores”, detalha.

Consultadas sobre os procedimentos adotados, empresas associadas revelaram que “assim como exige o plano São Paulo, adotamos aqui não só protocolos sanitários internos, mas também externos com clientes, para que proteja meu colaborador que fica em campo.” Todo cliente antes do técnico fazer a medida, é obrigado a declarar como está realizando seus protocolos para que nosso técnico tenha todo o cuidado neste ambiente”, afirmou Marcos Michelin da empresa TGM (Grupo WEG) e concluiu dizendo da importância do Home Office para os trabalhos plausíveis de serem realizados em casa. “Estamos hoje com 220 colaboradores em Home Office. Todas as atividades que tem possibilidades de serem feitas remotamente, estão assim.” concluiu Michelin.

CALDEMA ressaltou novamente a preocupação com a vida. “Temos grande preocupação com a vida dos nossos colaboradores, seja ele interno ou externo. Estamos tomando nossas medidas de segurança seguindo os protocolos sanitários seja na fila de entrada e saída com distanciamento, em nosso restaurante, investimentos em proteção como máscaras, medição de temperatura e etc. E também acompanhamento de uma área do serviço social em conjunto com a segurança do trabalho. Foi criada uma comissão exclusiva para acompanhar o andamento da situação da COVID no município e também fazer o acompanhamento dos funcionários”.

Na empresa General Chains do Brasil, uma lista de medidas foi elaborada e é seguida por seus colaboradores. Vai de fornecimento de máscaras à desinfecção diária com produtos sanitários em locais com maior circulação de pessoas, também reforço na higienização em pontos com grande contato como telefones, teclados, ferramentas, corrimão de escadas, entre outros. E fracionamento de funcionários no horário de almoço entre outras.

O CEISE Br continua orientando as empresas quanto ao cumprimento das normas legais adotadas pelas autoridades sanitárias com o objetivo de contribuir para que o setor continue produzindo, empregando, mas, acima de tudo, preservando a saúde de todos.