Perspectivas da agricultura de precisão são debatidas em simpósio de cana

12/03/2018

As vantagens da mecanização do processo de produção da cana-de-açúcar, especialmente nas etapas de plantio e colheita, com aplicações de ferramentas de agricultura de precisão, serão apresentadas durante o Simpósio “Integração da Pesquisa Pública com Cana-de-açúcar no Brasil”. Estudos que mostram os reflexos positivos no aumento da produtividade, além de casos de sucesso no manejo e nas soluções tecnológicas adotadas também vão ser demonstrados no evento.  

O simpósio, que ocorre em 15 de março de 2018, no Centro de Convenções do IAC em Ribeirão Preto (SP), visa discutir o sistema de produção atual e as perspectivas para o setor sucroenergético, programas de melhoramento genético e biotecnologia, além das novas tecnologias para a cultura da cana-de-açúcar. Pesquisadores, produtores e especialistas ainda vão debater a competitividade e a sustentabilidade da cadeia produtiva e os principais desafios, compartilhando experiências de várias instituições públicas e privadas focadas em pesquisas, produção e criação de políticas públicas.  

No painel “Sistema de produção atual e novas tecnologias para cana-de-açúcar”, serão tratados os principais problemas que afetam atualmente a produtividade da cultura e a visão de futuro para o setor. Além da agricultura de precisão, serão abordados os temas irrigação, nutrição de plantas, mecanização e controle fitossanitário, com exposição de tecnologias desenvolvidas por diversas empresas privadas.  

Tecnologia digital  

Pesquisas em fenotipagem com reconstrução 3D realizadas pela Embrapa Informática Agropecuária (Campinas, SP) vão ajudar o trabalho dos melhoristas. O pesquisador Thiago Teixeira Santos e o analista Luciano Vieira Koenigkan estão desenvolvendo um equipamento que, acoplado a uma câmera fotográfica, automatiza o processo de captura de imagens de culturas agrícolas. A tecnologia será usada pela Embrapa Agroenergia (Brasília, DF) em estudos de fenotipagem de plantas desenvolvidos pelo projeto de pesquisa da Rede Pluricana.  

Com a integração dessa máquina ao programa de computador 3DEmeter Capture, também desenvolvido pela Embrapa Informática Agropecuária, os melhoristas e fisiologistas vegetais vão poder reconstruir as plantas digitalmente. Isso deve ajudar na coleta de uma série de parâmetros, como altura, largura, biomassa e volume. Essas características manifestadas pelos vegetais, que correspondem aos fenótipos da cultura, permitirão identificar quais são as plantas mais promissoras em termos de condições específicas, como o estresse hídrico e as altas temperaturas.  

Assim, além de aumentar a escala de testes de materiais genéticos, será possível testar diferentes genótipos e elaborar análises mais rápidas. “Esse modelo 3D vai obter diversas características e alimentar uma base de dados para que os melhoristas e fisiologistas tenham uma quantidade grande de informações para fazer, por exemplo, decisões de melhoramento, busca de genes, avaliação de resposta de estresses, entre outras ações importantes para a pesquisa”, diz Thiago Santos.   

Organização  

O evento é realizado por uma rede de instituições públicas formada pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Instituto Agronômico (IAC) de Campinas, Rede Interuniversitária para o Desenvolvimento do Setor Sucroenergético (Ridesa), Centro de Tecnologia Canavieira (CTC), Sociedade dos Técnicos Açucareiros e Alcooleiros do Brasil (Stab) e a equipe do Programa Plurianual Integrado de Pesquisa e Desenvolvimento em Cana-de-açúcar – Pluricana, ligado à Financiadora de Estudos e Projetos (Finep).  

Compõem o público-alvo produtores, empresários, especialistas do setor sucroenergético, gestores, pesquisadores, professores e interessados no tema. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas pelo site <www.embrapa.br/simposio-cana>, limitadas a 350 participantes. A programação completa também está disponível aqui <https://www.embrapa.br/simposio-cana/programacao

 

Fonte: Grupo Cultivar