Usina brasileira de biogás pode atingir 30% do consumo de energia em prédios públicos locais

09/09/2019
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

O município de Ponta Grossa, no estado brasileiro do Paraná, está considerando uma usina de biogás que pode atender até 30% do consumo de energia em edifícios públicos locais.

No âmbito do seu programa de sustentabilidade, Ponta Grossa está buscando implantar uma usina movida a gás a partir de resíduos orgânicos. Os representantes da cidade já se reuniram com técnicos do Centro Internacional de Energia Renovável-Biogás (CIBiogas), que apresentaram um estudo de viabilidade técnica e econômica do projeto.

O estudo de viabilidade sugeriu que, na capacidade máxima, a queima de resíduos orgânicos poderia compensar até 30% da energia utilizada por estruturas públicas no município.  

“A proposta dessa planta faz parte do pacote de medidas que estamos adotando para o gerenciamento de resíduos na cidade, trabalhando exclusivamente com material orgânico”, explicou o secretário de Meio Ambiente Paulo Barros. “Assim, uma coleta seletiva de grandes geradores de resíduos orgânicos seria realizada e enviada à planta. Lá, os resíduos passam por um processo de decomposição da matéria, gerando gás e depois eletricidade. ”

A planta terá uma capacidade de processamento inicial de 12 toneladas de resíduos orgânicos por dia, com potencial de expansão para 30 toneladas por dia. Com essa capacidade máxima, a cidade poderia reduzir os custos em cerca de US $ 270.000 (244.738 €) por mês, o que inclui economias associadas à prevenção do descarte de resíduos em aterros sanitários.

 

Fonte: O Petróleo | Por Thailane Melo